Marketing Digital: O Que É, Estratégias e Tudo Mais. Mini Curso Grátis

marketing digital

Marketing Digital é o uso, na internet, de diversas estratégias, em plataformas variadas, a fim de conquistar audiência, criar relacionamentos e atingir objetivos previamente definidos para um negócio digital ou físico.

Este é um post ou um minicurso de marketing digital?

Bem, o mais importante é que são quase 8 mil palavras de conteúdo e mais de 100 definições de termos definidos ao longo do texto, assim, você decide se é um post ou minicurso.

Criamos, principalmente a fim de facilitar ainda mais o entendimento dos conteúdos de nosso portal, toda palavra ou termo seguido do símbolo do Q está definida em nosso glossário de termos de marketing digital. Nosso glossário tem centenas de termos definidos de forma individual, com novos termos sendo publicados a cada dia. Passe o mouse por cima do termo marcado, a fim de acessar um resumo da definição ou clique para a definição completa. Você não sairá da página, ok?

São muitas as estratégias de Marketing Digital, como, por exemplo:

  • Marketing Digital Básico,
  • Marketing de Conteúdo,
  • SEO,
  • Links Patrocinados,
  • Afiliados,
  • E-mail Marketing,
  • Marketing nas Redes Sociais,
  • E-commerce,
  • Mobile Marketing,
  • Estratégias Avançadas.

Mini Curso de Marketing Digital

Este mini curso de marketing digital, em forma de post, vai ajudar você a ter uma boa noção do todo.

Primeiramente, tenha calma, porque você não precisará utilizar todas as estratégias para começar, mas também é ingenuidade supor que seja possível alcançar sucesso na Internet utilizando apenas uma ou duas estratégias de marketing online.

Você tem que entender o que cada estratégia pode fazer por seu negócio e, por mais que algumas estratégias pareçam ser mais importantes que outras, perceba que:

Apenas com a utilização de diversas estratégias de marketing digital, de forma equilibrada e integrada, é possível ter real sucesso em um negócio digital ou alavancar um negócio físico.

Partes do Curso de Marketing Digital

Vamos dividir este conteúdo em 4 partes, como em um pequeno curso:

  1. O que é Marketing Digital?
  2. Quais os Principais Objetivos do Marketing Digital?
  3. Quais as Principais Estratégias de Marketing Digital?
  4. Como Fazer um Plano de Marketing Digital; Acompanhar e Crescer Analisando as Métricas

Como você pode ver pela minha história no marketing digital, o empreendedor improvável, crescer é até razoavelmente fácil, o difícil é permanecer grande. Dessa forma, não se cobre resultados absurdos no início, foque em quebrar a inércia e começar, se mostrar ao mercado e conquistar etapas.

É importante conhecer todas as possibilidades, seja para fazer por conta própria ou contratar um serviço e poder gerenciar esse trabalho. Assim, analise o contexto, o momento e as tendências, antes de tudo.

Os conteúdos da MarketingDigital.com.br tratam de todas as estratégias de marketing digital, e são voltados para empreendedores, startups e newbies, assim como para empresas tradicionais que precisam usar a internet para alavancar seus negócios físicos.

Vamos aprofundar o estudo do que é marketing digital?

Por que chamar esse tipo de trabalho de Marketing Digital?

Chamamos o trabalho de marketing digital porque os processos são de convencimento estratégico, e que ocorrem por meios e estratégias digitais. Eles são:

  1. Atração de audiência por meio da oferta de conteúdo aberto, otimizado, a fim de informar, apresentar ideias e educar. Pode-se também usar anúncios em display e links patrocinados, para a conquista de interesse.
  2. Relacionamento com a audiência, novamente, por meio da publicação de conteúdo, por e-mail, trabalho nas redes sociais, estratégias mobile e outros, a fim de se despertar no visitante a consideração de compra.
  3. Conversão dos visitantes em clientes, isto é, a efetivação da venda. Mais uma vez, isso é feito com o apoio de estratégias de conteúdo, usando estruturas de comércio eletrônico e outros.
  4. Entrega e encantamento. Não basta vender, o produto tem que satisfazer o cliente a ponto de torná-lo um evangelizador do seu produto.

O Marketing Digital na prática, como se vê, os processos se apoiam em um tripé de conquistas sequenciais: audiência, relacionamento e conversão. Logicamente, isso pode ser expandido ou subdividido, mas representa satisfatoriamente a linha de ação. A fase de entrega se enquadra como relacionamento.

Exemplo de expansão é o AARRR, acrônimo que representa Aquisição, Ativação, Receita, Retenção, Recomendação. Essas variações interferem no desenho dos chamados funis de venda.

O fato de ser um trabalho estratégico de otimização de processos, a fim de satisfazer necessidades dos clientes, caracteriza-o como marketing e, por acontecer em meios digitais, o qualifica como digital.

1. O que é Marketing Digital?

O Marketing Digital, como dissemos, faz uso de estratégias diversas, em plataformas variadas da internet, a fim de viabilizar negócios digitais ou alavancar negócios físicos.

As estratégias são os diferentes meios de comunicação ou trabalho que podem ser utilizados, enquanto os relacionamentos são os passos de uma caminhada rumo à conquista de confiança e de objetivos.

Esses objetivos são vários e dinâmicos, já que mudam de acordo o momento do negócio, como:

  • apresentar e chamar a atenção para um produto ou marca,
  • estabelecer-se como autoridade em uma área,
  • criar um canal de comunicação e relacionamento com pessoas interessadas no que você tem para oferecer, e,
  • vender.

O marketing digital é a versão online do chamado novo marketing, o marketing que centraliza no cliente, nas suas demandas e vontades, o foco da ação, pois busca estabelecer uma relação estreita de confiança, baseada em uma troca de informações e conteúdo por atenção e consideração de compra.

Algumas possibilidades do marketing digital, entretanto, vão de encontro às ideias do novo marketing, como automação, chatbots e outros, soluções impessoais de atendimento, mas, por vezes, a economia de tempo e recursos justificam os meios…

Dessa forma, de acordo com o momento ou características de sua audiência e seus objetivos, algumas estratégias serão mais indicadas que outras. Em igual sentido, algumas plataformas devem receber mais atenção que outras.

Sobre a relevância do Marketing Digital

Se um assunto vem crescendo sem parar nos últimos anos e não mostra sinais de estagnação deve ser considerado relevante, certo?

A dinâmica é a característica mais marcante do marketing digital e a avalanche de novas possibilidades torna o assunto algo sempre em alta. Confirme nessa análise do Google Trends.

google trends marketing digital

O mesmo ocorre no resto do mundo:

digital marketing

Hoje, não há perspectiva de futuro para um negócio que despreze as possibilidades da internet, assim como não se alcança sucesso sem o uso estratégico e coordenado das diversas estratégias de marketing digital.

As Empresas e o Marketing Digital

Hoje são as redes sociais e o mobile, amanhã será a inteligência artificial. Em alguns meses ou anos, ninguém sabe.

E o interessante é que essa dinâmica não retira importância das estratégias mais old school, como Marketing de Conteúdo, SEO, Links Patrocinados, E-mail Marketing e E-commerce, pois essas estratégias sempre se atualizam, a fim de não perderem a relevância.

Como as Estratégias Inaugurais do Marketing Digital Foram Adaptadas

Partimos do(a)

Progredimos para o(a)

Conteúdo excessivamente vendedor Conteúdo de valor
Otimização para os robôs das buscas Otimização para as pessoas
Venda por e-mail Relacionamento por e-mail
Spam Autorização
Compre Já Leia os comentários de quem comprou, compare, veja exemplos de uso… e compre

As posturas da primeira coluna acima eram aplicadas por marcas, publicidade e meios de comunicação tradicionais. Elas foram herdadas e afetaram o início do trabalho digital, mas, hoje são tidas como ultrapassadas e não funcionam mais na internet, já que, agora, o outro lado tem voz e ela é ouvida.

Adaptações das Publicidade para o Novo Marketing

Algumas percepções são primordiais para o Marketing Digital, e isso provocou certas adaptações para o novo marketing:

Partimos do(a)

Progredimos para o(a)

Interrupção Permissão
Imposição Conversa
Discurso Discussão nas redes sociais
Publicidade sem métricas Acompanhamento no centavo
Pelo menos branding Comprovação de resultados por métricas e análise de ROI
Essa é nossa posição. Essa é a verdade. Esse é nossa opinião. E você, o que acha?

A democratização do acesso reduziu a barreira de entrada, e ainda causou a popularização das reações exageradas, interpretações estranhas e as notícias falsas, assim, cabe a você ser fonte de conteúdo original, relevante e verificado.

Você qualifica sua audiência na mesma medida que aumenta a qualidade de seu conteúdo. Essa é a base do Marketing de Conteúdo, estratégia chave no marketing digital.

As Plataformas Digitais

Plataformas digitais podem ser de diversos tipos:

Oferta de

Plataformas

Música Deezer, Spotify, Itunes…
Vídeo Youtube, Vimeo…
Áudio (Podcasts) Itunes, Soundcloud, Google Podcasts…
Cursos online Udemy, Coursera, Hotmart…
Apresentações (em Power Point) Linkedin SlideShare
Lives Youtube, Instagram, Facebook…
E-mail Benchmark Email, Mailchimp, E-goi…
Games Steam, Origin…
Infoprodutos e afiliados Hotmart, Monetizze, Clickbank, JVZoo…
Conteúdo Medium, Linkedin Pulse, Twitter…
Redes Sociais Facebook, Instagram, Snapchat…
Grupos Grupos Linkedin, Facebook…
Relacionamentos Tinder, Grindr…
Reuniões Presenciais Meetup

Por Que Ser Multicanal?

As plataformas expandem a exposição de conteúdos, das marcas e de quaisquer esforços no meio digital. A derivação do conteúdo é o trabalho de levar um conteúdo para diversas vitrines. O x da questão está na apresentação.

Não basta levar seu conteúdo para todos os lugares. Você tem que estar em todas as plataformas, mas com um discurso que faça sentido para os usuários de cada uma delas. Isso, porque a forma que o usuário de cada plataforma deseja consumir conteúdo é diferente e específica.

Por exemplo, o tipo de público de uma plataforma de games é totalmente diferente do que usa a redes sociais. Mesmo dentro de plataformas que prestam o mesmo tipo de serviço, as expectativas são diversas.

Você acha, por exemplo, que quem é mais ativo no Twitter leria um post como este, com mais de 8 mil palavras?

Seu conteúdo tem que ser onipresente, mas deve se apresentar em cada lugar de uma forma peculiar, a fim de atender a expectativa daquele público específico.

A ideia é estar no maior número de lugares que lhe for possível, desde que a mensagem seja adaptada para o que a audiência de cada plataforma espera.

2. Quais os Principais Objetivos do Marketing Digital?

De forma resumida, os principais objetivos do trabalho digital são 4, as buscas por: audiência, relacionamento, conversão e entrega.

Como já disse, podemos expandir esses objetivos, a fim de detalharmos melhor cada passo, assim como podemos criar conquistas intermediárias.

As conquistas dos objetivos ocorrem de modos diferentes. Os esforços de busca por audiência, relacionamento, conversão e entrega acontecem ao mesmo tempo, apesar de as formas de trabalho serem diferentes.

A fim de organizar essas ações, criou-se um processo chamado funil de vendas. Ela define e organiza as fases e ações necessárias em cada uma delas.

Relembrando, temos que criar ações para:

funil de vendas

  • atrair visitantes e criar nossa audiência.
  • estabelecer um relacionamento com os membros da audiência, a fim de transformá-los em leads, isto é, clientes potenciais.
  • por meio da nutrição e qualificação dos leads, nós os convertermos em clientes.
  • entregar o produto/serviço/atendimento de modo a encantar os clientes.

Vamos aprofundar a análise desses passos?

Audiência

Nenhum negócio digital sobrevive sem audiência. A busca por audiência funciona com técnicas de atração, já que é a fase de descoberta e aprendizado, por parte do visitante.

Nessa fase, publicamos conteúdos abertos, na forma de textos e vídeos em nosso blog e fazemos chamadas para eles em nossas mídias sociais.

Procuramos apenas despertar o interesse, informar, educar as pessoas, a fim de afirmarmos nossa autoridade no assunto e despertar o interesse por saber mais, neste momento não há venda nem apresentação mais elaborada.

Somente por meio da publicação de conteúdo original e relevante consegue-se estabelecer autoridade, ou cumprir a promessa de oferecer informação de qualidade feita nos anúncios.

Afinal, estabelecida essa autoridade, a visita tende a progredir positivamente no funil, aumentando o nível de relacionamento e caminhando para se tornar um cliente.

Relacionamento

Se a pessoa passa a seguir você nas redes sociais, cadastra-se para receber e-mails com conteúdo diferenciado ou novidades, é razoável supor que ela se interessa pelo assunto, pois considera que você é fonte confiável de informação. Está criada uma conexão.

Seu conteúdo deve mostrar que, se há um problema, existe uma solução; se um desafio se impõe, há formas de ele ser transposto. Você precisa se apresentar como alguém que está disposto e apto a ajudar sua audiência.

Quando a pessoa aceita que você é um expert e seu site é fonte de informação relevante temos metade do caminho andado. A partir daí, está implantada a consideração de compra. Se a pessoa precisar de um produto, serviço ou de conhecimento nesse assunto, o seu produto, serviço ou curso passa ser a primeira opção de compra na cabeça dela.

É hora para passarmos para a próxima fase do funil, a fase de apresentação da solução.

Conversão

Nesta fase é hora de motivar a pessoa a comprar. Ofereça conteúdos que comparem o seu produto com outros, histórias de sucesso de clientes e do uso que eles fazem de seu produto. Apresente testemunhos, garantia de satisfação e tudo mais que faça a pessoa entender que é chegado o momento da compra. Leve a pessoa a avaliar sua solução e considerar seriamente a sua proposta.

O e-mail marketing é a estratégia ideal nesta fase.  A ideia é fazer a pessoa perceber que não há outra opção que não a compra, que faz sentido e que o momento é agora.

Ela está convencida, a decisão de comprar de você está embasada e já foi tomada: produto no carrinho de compras e check out concluído. Ela agora é sua cliente.

Há diversas formas de se fazer a otimização da conversão nessa fase, por meio de técnicas de CRO (Conversion Rate Optimization).

Entrega (retenção e encantamento)

A venda não é o fim, mas o início de uma nova fase do trabalho. Não basta entregar, você tem que encantar seu cliente.

Entenda como entrega, não apenas a entrega real, a prestação do serviço, o pacote remetido com o produto ou o acesso ao curso, mas todo um processo que começa muito antes.

A entrega passa pelo cuidado na produção do que será vendido, na informação e educação do cliente por meio da oferta de conteúdo relevante e útil, na estruturação de um atendimento respeitoso e pró-cliente, e, principalmente, na garantia de satisfação e no acompanhamento pós-venda.

E não pense que essa dica faz parte de um processo meramente emocional, pois o sucesso do cliente impacta direta e definitivamente no sucesso do seu negócio.

Primeiramente, vamos combinar que não é nada mais que sua obrigação oferecer um produto ou serviço de qualidade. Depois, sob o ponto de vista do negócio, é muito mais fácil vender novamente para quem já é cliente e se sentiu satisfeito com o que lhe foi entregue. O marketing boca a boca é o marketing mais efetivo que existe.

Clientes satisfeitos permanecem em contato, compram de novo, recomendam seu produto, defendem sua marca nas redes sociais e fazem comentários positivos no Google Meu Negócio.

E, como hoje toda compra é parte de um processo social, é apenas inteligente que você faça o que se chama overdeliver, assim, entregue mais do que seu cliente espera.

3. Quais as principais estratégias de Marketing Digital?

Que estratégias eu sugiro para seu negócio? Depende. É importante conhecer todas as possibilidades para utilizar as que são mais interessantes ou viáveis, em uma fase específica.

Logicamente, você não vai utilizar todas, nem mesmo muitas, mas é importante que, dentro do seu planejamento de marketing digital você conheça o que lhe é disponível.

Assim, você conhece as opções mais interessantes, na fase que seu negócio está e dentro de suas possibilidades.

Vamos às principais estratégias.

Marketing Digital Básico

Pense comigo. Você acabou de lançar um site, usando tudo que sabe de Marketing Digital Básico. Fez os planos de negócios e marketing, escolheu a marca, o domínio (naming) o endereço do site, a hospedagem, usou no design do site conceitos importantes, como, por exemplo, usabilidade e experiência do usuário, e, no desenvolvimento, criou áreas importantes como blog e contato. Você produziu o conteúdo inicial e publicou site. Agora, você já existe online!

É mais fácil planejado que feito. Assim, quanto mais tempo você investir no planejamento, menos tempo gastará na implementação e menos percalços você terá ao longo do processo.

Em nosso site você tem acesso a conteúdos específicos sobre cada ação necessária na fase de planejamento e implementação de um site, o marketing digital básico, como

  • Naming,
  • Escolha da hospedagem,
  • Desenvolvimento de site e/ou blog,
  • Produção de conteúdo e outros.

A MarketingDigital.com.br tem informações na forma de posts sobre assuntos mais complexos e definições de termos mais específicos em nosso glossário.

Você já está na internet, mas e as visitas? Pouco acontece espontaneamente em termos de audiência. Com tantas opções, porque alguém visitaria o seu site? SEM é a sigla que agrupa 2 trabalhos importantes nas buscas:

SEO, a otimização de sites para as buscas

Espera-se que, no processo de otimização ou no relacionamento com a agência prestadora de serviço de SEO, você tenha percebido que pode demorar um tempo para que as páginas de seu site tenham posicionamento interessante nas buscas, que leve um bom número de visitantes ao seu site, “sem custo”.

Deve-se entender que no marketing digital, o SEO, a otimização é um processo permanente, pois não há ranking fixo, você sempre precisa atualizar os conteúdos, incluir assuntos atuais, enfim, trabalhar permanentemente para manter ou melhorar as posições conquistadas.

A marketingdigital.com.br era a primeira nas buscas para marketing digital, mas por problemas de saúde na família, tivemos que parar o site por quase 4 anos e despencamos para a 19ª posição…

posicao marketing digital 3-11-2019

Voltamos, agora, com toda a disposição do mundo para recuperar a posição que nos interessa… Isso virou um compromisso, veja como voltaremos a ser o principal portal de maketing digital brasileiro.

Agora, se tempo é dinheiro, essa demora significa custo. Não se pode esperar que suas páginas alcancem, rápida e naturalmente, colocações nas buscas que remetam visitas suficientes para você se manter. Aí, você investe para conquistar audiência por meio dos…

Links patrocinados e Anúncios (Pay per Click)

Como conseguir visitas de forma imediata? Primeiramente, uma estratégia que, se bem administrada, surge como opção de bom custo/benefício é o Pay per Click (PPC), ou links patrocinados, oferecidos pelo Google Adwords, Yahoo/Bing Ads, Facebook Ads, Buscapé, Mercado Livre, OLX e similares. Ao conjunto dessas possibilidades chamamos tráfego pago.

Com os links patrocinados, é possível que um site, em poucas horas, receba visitação e comece a faturar. Você precisa de um bom anúncio, com um título forte, uma boa mensagem e uma convincente chamada para ação.

Em seguida, garanta que, ao clicar no anúncio a visita vá para uma landing page que não frustre sua expectativa da pessoa, porque a página deve tratar do tema anunciado, ou confirmar a oferta feita, de forma direta e competente. Anunciar um assunto e enviar para uma página não relacionada faz cair a conversão e aumentar o custo por clique.

Por outro lado, você pode conquistar visitantes por meio da publicidade contextual nos resultados de busca ou na rede de Display, que contempla sites que se associam ao Google para oferecer os anúncios do Google nos seus sites.

Adsense ou Adwords

Em poucas palavras, Adwords é para quem anuncia e Adsense é para quem expõe os anúncios. No primeiro paga-se para anunciar e, no segundo, recebe-se para expor o anúncio. Ambos buscam cliques nos anúncios.

O ideal é que a curva do investimento do investimento em links patrocinados siga em direção inversa a dos resultados do trabalho de otimização, até porque isso reduz custos e permite que os investimentos economizados sejam direcionados para novas frentes de captação ou de negócios.

visitacao-organica-vs-visitacao-paga

À soma dos trabalhos feitos nas buscas, seja de forma orgânica, pela otimização para as buscas (SEO), ou por investimento,  pelo trabalho de links patrocinados, chamamos  SEM – Search Engine Marketing.

SEM = (SEO + PPC), isto é: Search Engine Marketing (marketing nas buscas) = SEO (otimização para as buscas) + PPC (links patrocinados ou anúncios)

Dentro do trabalho de busca de audiência por investimento em tráfego pago, uma possibilidade vem se destacando.

Propaganda Nativa

Native ads, a publicidade nativa ou propaganda nativa é, claramente, herança das mídias tradicionais. É o anúncio que não parece anúncio, mas que é anúncio e é marcado (bem pequenininho) como anúncio. E ainda funciona.

A publicidade nativa se mistura ao entorno de forma a parecer parte dele. Você clica, pois parece ser natural seguir esse caminho.

Esse é, sobretudo, o modelo do Google, que oferece anúncios como primeiros resultados (marcados com as setas laranjas abaixo) em um formato bem semelhante aos resultados orgânicos das buscas (marcado com seta azul).

native ads publicidade nativa progaganda nativa

E é assim no Gmail, no Youtube e outras plataformas.

Obs.: Note que se pode perder dinheiro quando não se têm cuidado nesses anúncios… CRM tanto pode ser uma ferramenta de relacionamento com clientes como Conselho Regional de Medicina.

Mais recentemente, a indicação de conteúdos destacados ou relacionados vêm utilizando esse formato. Entre os conteúdos da própria página aparecem anúncios de terceiros. Eles podem ser alimentados pelo próprio Google, assim como Taboola, RevContent e Outbrain, entre outros.

publicidade nativa

Cuidados Com a Publicidade Nativa

Como disse, o formato funciona muito bem, o maior problema é uma possível percepção gerada por anúncios do tipo: “Mulher de 50 anos quase é presa ao tentar comprar bebida”, “Blá blá blá virou febre na internet” e similares.

Normalmente esses produtos, da chamada zona cinzenta, são aqueles que você não confia, não acredita 100%, mas acaba comprando, como tratamento caseiro para calvície e outros. Vai que funciona comigo…

Todo anúncio deve despertar curiosidade, estimular o clique e ter uma boa chamada para a ação, mas, tenha cuidado, para não exagerar na dose e se queimar.

Assim, diferentemente do exemplo acima, garanta que ao fazer uso da publicidade nativa, você trabalhe palavras-chave contextuais ao seu tema e, em qualquer situação, que não vai pesar a mão na promessa.

E-mail marketing

Bem, você já tem visitas, mas você tem o nome, e-mail e os principais dados dessas pessoas? Não! Então, você nunca mais entrará em contato com eles? Ilógico.

Como manter contato? Você deve estimular suas visitas a cadastrarem seus e-mails, para que você possa utilizar o e-mail marketing. Isso porque poucas vezes se tem a disposição uma ferramenta tão poderosa para manter sua audiência atenta ao que você tem para informar e/ou vender.

Para isso, é importante ter landing pages, as páginas de captura de leads, já que essas páginas oferecem acesso a conteúdo premium em uma área restrita do site, acessível apenas mediante cadastro, ou remetidas para download, como e-books.

Uma boa ação é a configuração de autoresponders, algo como um agendamento da remessa de conteúdos sequenciais por e-mail. Essas mensagens devem estimular as pessoas a progredirem dentro do funil de vendas, num processo chamado de nutrição de leads, enquanto seguem rumo a compra.

Afinal, com o e-mail das pessoas, você pode enviar newsletters com informações, conteúdos de educação e convencimento, comparativos, ofertas e muito mais.

Use com sabedoria este importante canal. Divida suas atenções nessa fase de relacionamento entre o e-mail marketing e o trabalho nas redes sociais.

Marketing nas Redes Sociais

Por que não estender esses relacionamentos às redes sociais? Ah, você começou ao contrário? Você tem um zilhão de amigos no Facebook, Whats App ou Instagram e quer usar isso em um negócio?

Mantenha a discussão nas mídias sociais e aplicativos de mensagens. Há ótimas oportunidades de conquista de audiência, interação e venda por meio do marketing nas redes sociais.

Esclareço que Redes Sociais são as plataformas, Facebook, Twitter etc. Mídias Sociais são os seus perfis de negócio delas, por exemplo, a página da MarketingDigital.com.br no Facebook, o perfil da Marketing Digital no Twitter etc.

Use e abuse, no marketing digital, das redes sociais para apresentar seu conteúdo, ofertas, produtos e mescle com um pouco sobre sua vida, seu negócio e seus colaboradores, afinal é uma rede social…

Na opinião de muitas empresas o trabalho de marketing digital mais relevante no momento é o marketing nas redes sociais. Apesar de reconhecer a importância dessa possibilidade acho essa visão um pouco míope.

E-commerce

Seus negócios estão melhorando e você deseja aumentar a estrutura de venda online?

Vai precisar de uma estrutura mais elaborada de Comércio Eletrônico.

Com um plataforma de e-commerce bem estruturada, você pode, por exemplo, oferecer produtos ou serviços complementares, tentar recuperar vendas que não se concretizaram devido ao abandono do carrinho de compras, gerar cupons de desconto para ofertas especiais, parcelar pagamentos e muito mais.

Tudo isso facilita e torna mais intuitiva e rápida a decisão de compra de seus visitantes.

Note que o comércio eletrônico não existe apenas para produtos físicos, mas para serviços, cursos e tudo mais que você vender.

As coisas estão indo bem no seu negócio? Quer uma forma prática e inteligente de aumentar sua equipe de vendas sem maiores investimentos e sem precisar reestruturar seu e-commerce? Já ouviu falar de programas de afiliados?

Afiliados

Por que não aumentar sua equipe de vendas, cadastrando sites revendedores em seu Programa de Afiliados?

Essa estratégia é muito interessante, pois funciona tanto para quem quer ampliar a capacidade de vendas, como para quem pretende ampliar a variedade de produtos disponíveis para a venda.

No Marketing Digital você tanto pode ter afiliados que oferecerão seus produtos em troca de uma comissão, igualmente, pode vender produtos de terceiros, tornando-se afiliado delas.

Note que essa situação de ganha-ganha é extremamente interessante e envolve pouco investimento.

Se você é afiliado de terceiros, você pode aumentar seu faturamento oferecendo produtos complementares aos seus. Da mesma forma, você pode ampliar tremendamente sua equipe de vendas tendo diversos parceiros como afiliados que oferecerão os seus produtos. E você só paga quando a comissão quando a venda é confirmada!

Agora, a fim de administrar tantas frentes, existe uma estratégia que é capaz de alimentar  todos esses esforços. Essa estratégia é o…

Marketing de Conteúdo, a estratégia mais importante do Marketing Digital

Você gosta de escrever ou fazer vídeos? Tem um conhecimento específico que gostaria de compartilhar e ser remunerado por isso? Tem um blog e quer monetizá-lo, ganhar dinheiro com ele? Quer estabelecer autoridade em uma área, conquistando visitas, seguidores e vendas?

Então, Marketing de Conteúdo é o que você precisa saber. Com o conteúdo você consegue definir o perfil de sua audiência. Isso facilita o trabalho de atrair visitação, criar e manter relacionamentos, educar, convencer e vender.

Você verá que o conteúdo pode centralizar todos os seus esforços de marketing digital. As pessoas têm a tendência de vincular conteúdo apenas ao material escrito, quando, acima de tudo, conteúdo é qualquer forma de comunicar uma mensagem.

Pense como conteúdo a produção de imagens, vídeos (vídeo marketing), áudios (podcasts), esquemas, infográficos, e tudo mais que sirva como forma de comunicação.

Particularmente, eu considero o Marketing de Conteúdo a estratégia mais efetiva de marketing digital. Até por isso, me juntei ao Rafael Rez para fazer um completo curso online de Marketing de Conteúdo.

Tanto é assim, que afirmo que tudo que eu conquistei com meu trabalho online veio por meio das estratégias de conteúdo. Por isso, reitero o pedido para que você leia minha história no empreendedorismo digital, O Empreendedor Improvável, para ver, com exemplos, como utilizei o conteúdo em diversos empreendimentos de sucesso.

Inbound Marketing e Outbound Marketing

O marketing de conteúdo é o maior expoente de um grupo de ações categorizadas em um grupo chamado inbound marketing. Essa categoria agrupa estratégias que atraem as pessoas por meio da oferta de conteúdo de valor, que pode ser apresentado em diversas plataformas e formatos.

Essa categoria veio em contrapartida ao outbound marketing, que utiliza a publicidade e propaganda em diversas vitrines como forma de atração.

É consenso, principalmente na internet, que as relações criadas pelo inbound marketing, baseadas na oferta de informação e educação são mais fortes que as geradas pelas mensagens que interrompem e impõem uma proposta.

Em contrapartida, se os resultados do outbound marketing têm resultados quantitativamente inferiores, mas, em contrapartida, eles aparecem mais rapidamente do que no processo proposto pelo inbound.

Funciona mais ou menos como SEO x Links Patrocinados, assim, o ideal é trabalhar as duas possibilidades e deixar o tempo fazer mostrar se devemos concentrar mais investimentos onde obtivermos melhor retorno.

Mobile Marketing

Muita gente me pergunta como eu consegui o domínio marketingdigital.com.br. Foi uma aposta que deu certo, pois quando o comprei, em 2003, a indústria ainda não tinha este nome.

Acima de tudo, foi o aumento da importância dos celulares que me fez decidir por comprar este domínio. Os nomes utilizado à época eram webmarketing, marketing online e marketing na internet

Eu fiz o que indiquei no início deste texto: analisei o contexto, assim como as tendências. Pensei que smartphones e tablets ganhariam protagonismo no acesso à internet e isso tudo viraria uma coisa só, o digital. Dei sorte.

A utilização dos aparelhos móveis no acesso à internet hoje é mais que uma realidade, já que a maior parte dos acessos à Web é feita por aparelhos móveis. Até por isso, eles merecem uma estratégia de marketing apenas para eles.

Você tem ótimas ideias de aplicativos para smartphones ou tablets? Consegue fazer tudo no seu smartphone e quer fazer dele sua ferramenta de trabalho e negócios?

Então estratégias de Mobile Marketing devem fazer parte do seu plano de negócios. Existem, ainda, excelentes possibilidades de se conquistar visitas por meios da tecnologia de localização existente nos smartphones, por meio do chamado Marketing Local.

Não basta que seu site seja responsivo para achar que se está trabalhando o mobile marketing. Assim, é importante que todas as suas estratégias, inclusive de conteúdo, sejam pensadas ou adaptadas para o consumo via smartphones e tablets.

Estratégias Avançadas

Se você já faz boa parte disso, mas sente que ainda não encontrou a forma perfeita de se conectar com seu público? Ou quer utilizar métodos ainda mais avançados ou pouco convencionais?

Na realidade, categorizo essas possibilidades como estratégias avançadas, mais porque são menos comuns do que por serem de aplicação mais complexa. Normalmente, são utilizadas em áreas ou fases específicas.

Em resumo, são as estratégias para quem já conseguiu otimizar toda a parte básica e, agora, precisa aprofundar na nos detalhes e nos diferenciais, para conseguir crescer.

Há uma série de estratégias avançadas no Marketing Digital, como, por exemplo:

Automação de Marketing

Vender tornou-se um trabalho mais estratégico do que transacional, visto que utiliza processos que envolvem entrega de conteúdo de valor, conquista de confiança, estabelecimento de autoridade, para, só então, se tornar opção de compra quando a pessoa precisar de um produto que você venda.

Certamente, é um modelo mais complexo do que o processo de venda tradicional. Esse caminho estratégico, que chamamos de funil de vendas, pode ser automatizado. Afinal, novas visitas entrarão no funil para acessar seu conteúdo e sairão de lá clientes. Essa possibilidade de automação só o trabalho digital permite.

A automação de marketing é uma daquelas ações geradas pelos problemas bons, que vêm com o sucesso, já que, provavelmente o seu negócio cresceu numa forma tal que, manualmente, fica difícil administrar seu marketing.

Você precisar automatizar ao máximo as atividades, com a ajuda de ferramentas específicas, que utilizam de muita tecnologia a fim de entender suas demandas e providenciar a melhor experiência possível ao seu cliente, de forma que nem pareça que o processo é automatizado e de que forma isso acontecerá.

A automação não o isenta de planejar estratégias de atendimento, venda e entrega. As ferramentas de automação apenas recebem, de você, as indicações dos processos que serão automatizados.

Para automatizar seu marketing, é imprescindível que você tenha bem definida sua estratégia de marketing de conteúdo e, além disso, desenhe um competente funil de vendas, a partir do conhecimento bem embasado da jornada de consumo de seu cliente.

Realidade Virtual

A realidade virtual exige que se pare, coloque um headset e que se dedique um tempo àquela experiência. Assim, encantar essa pessoa é o mínimo, concorda.

O custo é alto, as exigências de equipamentos são muitas e complexas, o que me faz pensar que essa plataforma será mais utilizada por agências de publicidade.

Ainda assim, eu vislumbro que experiências interessantes em educação serão, também, um importante e interessante uso da realidade virtual.

Análise Comportamental (CRM)

CRM significa customer relationship management, que é um processo que auxilia na gestão de relacionamento com clientes (consumidores). Ou seja, a ideia é analisar o comportamento de seu clientes a fim de propor soluções que melhorem a estratégia de vendas, ao mesmo tempo que reduzam custo e tempo.

Normalmente, a ferramenta de CRM trabalha de forma integrada com as ferramentas de automação de marketing.

O CRM analisa os dados de diversos clientes, assim como organiza essas informações e ainda ajuda na criação de um processo que ajude no planejamento de marketing do negócio.

Realidade Aumentada

São inúmeras as possibilidades de você chamar a atenção para o seu negócio por meio de estratégias de realidade aumentada.

E elas vão desde a diferenciação do seu cartão de visitas, como no vídeo abaixo, a demonstrações de uso de complexas estruturas como games e similares.

No marketing digital, você pode, por exemplo:

  • Criar uma experiência em seu comércio eletrônico onde o cliente pode experimentar virtualmente a roupa vendida,
  • Mostrar os quadros disponíveis em sua galeria de arte, com informações completas de cada obra de arte,
  • Criar um tour pelo seu evento e mostrar onde cada palestra acontecerá e qual o caminho mais fácil para se chegar na sala onde se deseja ir.
  • Disponibilizar em seu cartão de visitas um código QR que leva a pessoa a se cadastrar para baixar um e-book.

Como disse, são inúmeras as possibilidades e elas vão muito além dos games. Principalmente, porque tudo isso pode ser feito por meio de uma simples leitura feita com seu smartphone ou pelo uso de óculos de realidade virtual.

Big Data / Big Knowledge

As grandes empresas perceberam de que tinham acesso a muita informação, mas não faziam bom uso disso. O Big data mostrou que as ferramentas para a solução estava na própria empresa: informação e conhecimento.

Assim, elas partiram para depurar e estruturar essas informações e produzir o big knowledge. Em um primeiro momento, o uso foi alavancar marketing e vendas mas, em seguida, passou a inspirar processos, tecnologias e estratégias.

Mudança no Uso da Informação

Assim, com o respaldo de dados, outras perspectivas foram alteradas, tais como:

Antes Agora
Publicidade para a massa. Um modelo para todos Publicidade direcionada. Cada um é atingido conforme sua expectativa. é o marketing personalizado.
Publicidade impositiva. Informação propositiva.
Idealizava-se o cliente a partir de um achismo, a intuição.
O mesmo valia para contas que se buscava conseguir nas relações B2B.
Criam-se personas a partir da análise aprofundada das informações disponíveis.
O Marketing Baseado em Contas usa uma versão empresarial de personas a fim de tipificar as contas que se deseja conquistar.
As informações eram generalizadas. Os produtos eram desenvolvidos e cabia às pessoas se adaptarem a eles. Primeiramente, agrupam-se as informações adquiridas a partir de um estudo de personas bem elaborado.
Por fim, criam-se diferentes versões que agradem de forma peculiar os diferentes grupos.
O conteúdo de marca era umbigocêntrico e funcionava como autoexaltação. O conteúdo da marca busca informar e educar. Como resultado, o valor entregue conquistará respaldo, autoridade e confiança.
Analisavam-se as vendas. Analisam-se os sentimentos, os comentários, os reviews e as vendas.
Idolatrava-se a tradição do passado e estimulava-se a manutenção do status quo. Analisa-se o que funcionou no passado, como adaptar isso para o presente para então pensar e se preparar para o futuro.
Faltavam fontes de informação e educação Hoje a disponibilidade de conteúdo é tanta que já se fala da sobrecarga de informação.

Inteligência Artificial

A ideia da inteligência artificial é programar máquinas para que tenham a habilidade de analisar, agir ou reagir com a mente humana faria. A ideia é que haja ganhos de produtividade, eficiência e lucratividade.

Desconsidere as histórias de ficção e teorias conspiratórias. A inteligência artificial é uma realidade e já está no Whatsapp, nos chatbots, GPSs, video games e diversos outras possibilidades.

No marketing, inclusive no marketing digital, essa tecnologia tem pós e contras, até porque o marketing é pessoal, trabalha com a emoção sobre a razão, com o desejo se antecipando à necessidade. Por isso, os robozinhos da IA (AI) ainda estão longe de conseguirem estimular emotivamente as decisões de compra, por vezes impulsivas e descuidadas.

Hoje, o trabalho é o humanizar a inteligência artificial e tornar as relações em experiências ao invés de impulsos, a apresentação de conteúdo de marcas em informação ao invés de imposição ou exaltação, por exemplo.

De qualquer forma, a inteligência artificial está aí para oferecer propostas ainda mais disruptivas na busca de audiência, no relacionamento e, quem sabe, nas estratégias de conversão. A inteligência artificial será uma importante aliada da análise comportamental, na antecipação de tendências, na proposta de modelos, conteúdos, copywriting, e principalmente na criação de experiências personalizadas para o usuário.

As páginas de um site deixarão de ser únicas, mas terão visual e conteúdo adaptado para as peculiaridades de cada visitante, de acordo com uma série de análises comportamentais, emocionais, de localização e outras.

Internet das Coisas

São muitos os aparelhos, além de celulares, tablets, PCs e notebooks que se conectam a internet, como:

  • TVs,
  • Geladeiras, lavadoras de louças e roupas,
  • Carros e
  • Com os assistentes digitais, basicamente tudo em casa se conectará com a internet.

Há também os aparelhos vestíveis, como headphones, relógios entre outros.

Assim, quando aumentam os pontos de contato com potenciais clientes, cresce, em igual sentido, a quantidade de informações de uso do digital, mais possibilidades se apresentam.

Em termos de big data, se a visita a um consultório médico gera uma enorme quantidade de informações; e as ações da pessoa enquanto navega nas buscas ou nas redes sociais, uma quantidade ainda maior, imagine quando tudo puder ser conectado! Teremos que criar o termo really big data

Agora, com usar isso no marketing digital? Isso ainda é coisa para o futuro, ainda mais para os pequenos negócios, mas os disruptores digitais já estão viajando nessas ideias.

Como resultado, a análise de mercado vai chegar a um nível de detalhamento absurdo e isso, para o marketing, é sempre positivo, pois, quanto mais e melhor você conhecer sua audiência, mais competente será o seu marketing, digital ou não. Aguarde os próximos capítulos…

Preparação – Vamos começar?

Além disso tudo, ainda há outras possibilidades que podem ser o diferencial que seu negócio online precisa para deslanchar, se destacar e progredir.

Que estratégias eu sugiro para seu negócio? O método que indico é simples:
Tudo ao mesmo tempo agora.

Seja qual for seu nicho, negócio ou habilidade há uma ou mais estratégias de Marketing Digital que podem ajudar a transformar sua presença na internet em um caso de sucesso.

Essas estratégias normalmente têm seu uso mais ou menos indicado de acordo com o tipo de negócio ou a fase em que sua empresa está ou pretende incrementar, fases essas que são lineares no início e concomitantes quando já se está estabelecido.

Podemos resumir as fases de um negócio digital em: Planejamento, Tráfego, Monetização, Relacionamento e Evolução. Dessa forma, a partir da noção das estratégias existentes e das fases do negócio, vamos pensar como fazer um Planejamento de Marketing Digital e medir o que funciona?

4. Como Fazer um Plano de Marketing Digital e Usar as Métricas Para Acompanhar e Crescer

O plano de Marketing Digital, logicamente, varia de acordo com sua área de atuação, com o modelo de negócios e a capacidade de investimento.

Ao longo de nosso portal aprofundamos a análise de todas as possibilidades.

Assim, apresentarei, em tópicos, um exemplo de plano básico, que vale para qualquer tipo de negócio digital , um modelo que fará sentido em qualquer indústria e permitirá que você se apresente ao mercado de forma competente e com chance de sucesso.

Temos um conteúdo específico sobre plano de negócios.

Para alavancar qualquer negócio na internet você precisa de definições e ações:

Definições do Plano de Marketing Digital

  • Defina qual é o seu negócio? Descreva competências e objetivos.
  • Estude e entenda o contexto, o entorno e tudo mais que envolve sua área de atuação.
  • Pesquise a concorrência, veja os destaques e o que eles oferecem em termos de produto, serviços e conteúdo.
  • Planeje sua estratégia de ataque. Defina se você se destacará pelo tipo de produto, pela oferta de conteúdo diferenciado, pelo preço, qualidade de atendimento etc.
  • Estude sua audiência, crie as personas, os perfis ideais de clientes. Esse estudo permitirá que você entenda como poderá alcançá-los, atraí-los e, afinal, convencê-los que seu produto é perfeito para eles.
  • Parta, então, para conquistar visitas orgânicas e pagas.
  • Defina as estratégias de busca de tráfego natural e relacionamento por meio do Marketing de Conteúdo.

Ações Iniciais

  • Crie um site e use o blog para publicar seus conteúdos, principalmente artigos contextuais e otimizados, firmando seu posicionamento e entendimento do momento do mercado.
    Assim, ajude as pessoas a identificarem os problemas, vislumbrarem soluções e o perceberem sua autoridade no assunto. Estabelecida uma relação de confiança, vender seu produto será o menor de seus problemas.
  • Produza landing pages para seus anúncios, para suas chamadas para ação em redes sociais e tudo mais que funcione para você buscar leads, isto é, pessoas com grande potencial de se tornarem seus clientes. Contudo, trabalhe para não frustrar seu visitante deixando de cumprir a promessa apresentada nos conteúdos. As landing pages devem oferecer exatamente o que foi apresentado como oferta nos anúncios e nas chamadas para ação.
  • Relacione-se e interaja pelas redes sociais, assim, por exemplo, promova o conteúdo de seu site, participe de discussões, responda perguntas, peça sugestões…
    Foque nas redes mais indicadas, de acordo com a faixa etária de suas personas. Se acima de 40, use o Facebook, se abaixo, Instagram. Sempre que possível, use as duas. Independentemente de idade esteja no Youtube, Linkedin e Twitter.
  • Primeiramente, no site e nas redes sociais, estimule o cadastro de e-mail em troca do acesso a conteúdo premium e/ou e-books e, a partir desses cadastros, faça e-mail marketing e, se fizer sentido para sua audiência, crie um grupo no Whatsapp e relacione-se por lá.
  • Tem produto físico? Use, inicialmente, uma estrutura básica de comércio eletrônico (carrinho de compras e check out).

Ações Posteriores

  • O fato de usar, inicialmente, ferramentas nas versões básicas não limita suas possibilidades, e, acima de tudo, se der certo, isso é problema bom. Então, amplie sua atuação aumentando as estratégias, melhorando as ferramentas, contratando mais gente…
  • Otimize sua conversão com técnicas de CRO.
  • Busque produtos complementares ao seu para oferecer aos seus clientes, como afiliado.
  • Produza mais e mais conteúdos de sua área de atuação. Eduque sempre.
  • Busque testemunhos, peça sugestões aos seus clientes.

Otimize suas estratégias e alcance mais e melhores resultados. Ao longo do site aprofundamos bastante cada uma dessas ações e, principalmente, para saber o que e onde você tem que trabalhar. Meça tudo.

Você tem que saber se está indo para a frente e que resultados cada uma de suas ações está alcançando.

Métricas de Marketing Digital

Independentemente da forma de conseguir visitação imediata, você tem que analisar o ROI, retorno do investimento, pois é preciso confirmar se o investimento se paga com o lucro que você terá com as vendas.

A fim de analisar o ROI e ter informações que possam ajudar a gerir seu negócio e alocar otimamente seus recursos, você precisa de Métricas de Marketing.

Afinal, você precisa de informações sobre visitação, sua origem e ações, custo de anúncios, faturamento relacionado e tudo mais que for possível, a fim de que tenha meios de saber o que está funcionando e o que precisa de ajustes.

Há ótimas ferramentas pagas, mas é possível começar com as boas ferramentas de métricas gratuitas disponíveis, como o Google Analytics.

Mais à frente, na parte que falamos de planejamento e métricas, aprofundamos a análise de como medir os resultados e acompanhar os números do negócio.

Beleza, as visitas estão chegando, de forma orgânica (por meio da otimização para as buscas) e/ou paga (patrocinada), mas como manter contato com essas pessoas, como manter o interesse e iniciar um relacionamento de negócios?

Acompanhamento e Crescimento

Métricas servem para acompanharmos o andamento dos trabalhos. Afinal, a partir do que elas mostrarem, podemos decidir mudar estratégias, adaptar ações ou o que for necessário para atingirmos os objetivos do negócio.

No planejamento do negócio começamos por definir etapas, objetivos e que metas de desempenho serão as mais importantes, então, criamos as chamadas KPIs (key performance indicators, os indicadores chave de desempenho).

Acompanhe essas métricas serão acompanhadas mais de perto, já que são as mais estratégicas para o negócio.

Intenções das Métricas (acompanhamento)

As funções das métricas são:

  • Acompanhar o andamento do trabalho,
  • Testar variações (de anúncios, ofertas e landing pages),
  • Identificar e manter o que funciona,
  • Corrigir ou eliminar o que não funciona e,
  • Direcionar os seus investimentos em acordo com essas informações.

Objetivos das Métricas (escala)

As coisas funcionam de forma diferente na internet, de acordo com o que você oferece. Por exemplo:

  • Se você é um infoprodutor e vendeu 1 livro ou curso, então é razoável supor que há mercado. A partir daí, o foco passa a ser escalar o negócio, isto é, aumentar o alcance e a conversão.
  • E-commerces são mais complexos, pois dependem de compras, estoques, promoções, anúncios mais variados e complexos, logística para remessa e uma série de fatores.
  • Portais precisam comercializar espaços publicitários, patrocínios e similares, assim, a busca passa a ser por conseguir bons parceiros e histórias de sucesso, por meio da oferta relevante de conteúdo, a fim de fazer os visitantes voltarem sempre.
  • A oferta de produtos diferenciados em apresentação multicanal é a melhor alternativa, principalmente a fim de substituir as formas menos efetivas de promoção, como, por exemplo, as que não sejam contextuais.

Métricas mais relevantes

Assim, é preciso analisar tudo sob a perspectiva do ROI, retorno do investimento. Desta forma, acompanhe de maneira próxima:

  • Custo por lead – quanto tempo e dinheiro você investe para conquistar um cliente potencial?
  • Custo por cliente – qual percentual de leads você efetivamente converte em clientes (vendas) e qual o custo disso?
  • Qual o valor (de vida) de um cliente – Quanto um cliente vale para seu negócio? Isso corresponde a quanto ele compra em produtos (compra inicial e potenciais compras posteriores). Quanto o negócio ganha a partir das recomendações deles e mais.
  • Quais as possibilidades de se escalar os resultados, isto é, se você multiplicar visitas e leads você multiplica em que proporção as conversões em venda?

Ações baseadas nas métricas

Afinal, de posse dessas informações, você tem dados para melhorar os resultados, e isso passa por ações que podem ser concomitantes ou alternativas:

  • Aprofunde seu conhecimento.
  • Contrate uma agência digital, profissional especializado ou consultor e apto a providenciar ou sugerir ações específicas que podem ser difíceis de se fazer por conta própria, como, por exemplo, SEO, compra de tráfego, CRO e outros.
  • Melhore as ferramentas utilizadas e implemente o uso de novas possibilidades, como CRM, automação de marketing entre, outras.
  • Amplie as fontes de renda do seu negócio tornando-se afiliado de produtos complementares aos seus ou relacionados à sua área de atuação e, da mesma forma, busque afiliados que lhe tragam mais vendas.
  • Modernize seus produtos, serviços e ofertas.

Por que a MarketingDigital.com.br é o nome do marketing digital?

Em resumo, nosso portal é repleto de informações, notícias, casos de sucesso e dicas úteis, seja qual for sua necessidade ou área.

Da mesma forma, oferecemos artigos, gráficos, vídeos, indicações de produtos e serviços, cursos, e-books, cursos online e presenciais. Ainda definimos centenas de termos no maior glossário de marketing digital da internet, ou seja, todas as informações em um só lugar.

Assim, se seu negócio é digital ou se pretende promover seu negócio tradicional na internet, seu principal destino é a MarketingDigital.com.br, o nome do marketing digital.

Volte sempre para acompanhar o lançamento dessas novas áreas, assim como conteúdos e termos do glossário (serão mais de 1200).

Assim, comente, indique assuntos que gostaria que tratássemos e participe das discussões.

Co-fundador da MarketingDigital.com.br, Alex Moraes é especialista em Marketing Digital. Após diversas conquistas na prestação de serviços na agência digital de seu irmão, o designer Anderson Moraes, mudou o foco da empresa, a Clicktime Marketing e Design, para a educação. A MarketingDigital.com.br é um hub de troca de informações, com muito conteúdo próprio e de parceiros, glossário, guia de prestadores de serviços (agências e profissionais), agenda de cursos e eventos e tudo mais que se refira a Marketing Digital.

92 artigos publicados