Conteúdo Mobile: O Site é Responsivo, Mas Seu Conteúdo Faz Sentido no Mobile?

conteúdo mobile

Conteúdo mobile significa que seu conteúdo também tem que se adaptar para a versão móvel.

Conteúdo mobile é o que falta quando se considera que design responsivo é a única alteração a ser feita para seu site fazer sentido para os mais de 60% dos usuários que acessam a internet com aparelhos móveis.

Esta é a 2ª e última parte de dois artigos sobre versões móveis de sites, otimização e adaptação de conteúdo.

O tamanho de seu site pode até se ajustar aos diferentes tamanhos das telas, mas várias outros ajustes são necessários. São necessárias para você pode atingir de forma competente os usuários de celulares, tablets e outros aparelhos móveis.

Primeiramente, vamos falar de adaptação de conteúdo para o acesso móvel.

Poucas empresas e menos ainda empreendedores já perceberam que isso pode ser uma ótima oportunidade. O conteúdo tem que se adaptar às novas telas. E note que as novas telas podem ser celulares e tablets, mas também podem ser televisões, geladeiras, vídeo games e tudo mais que a indústria da internet das coisas inventar.

O Google informou há algum tempo que a experiência de uso móvel deve ser privilegiada, não só porque mais de 50% das buscas são móveis, mas porque o que importa é a experiência do usuário. Assim, além de seu site ser responsivo, os textos, imagens e vídeos devem ser pensados para o consumo móvel. Eu disse que o conteúdo mobile deve ser pensado, não adaptado.

Assim, pergunte-se se:

  • Os blocos de texto estão grandes demais.
  • O fluxo de leitura está facilitado.
  • As imagens adaptam-se sem distorção.
  • Os vídeos complementam de forma lógica o texto.
  • Os vídeos têm transcrição, caso a pessoa não possa ligar o som?

É uma boa ideia começar respondendo essas perguntas.

Adaptação de conteúdo para a versão mobile

Primeiramente, é necessário se colocar na posição de consumidor do conteúdo, pois é desse ângulo que tudo deve ser visto.

Este passo não é específico para conteúdo no acesso móvel, porque sempre deve acontecer. Pense no seu cliente! Assim:

  • Faça testes de usabilidade pessoal,
  • Verifique se ficou boa a visualização e se tudo se adaptou imediatamente.

Feito isso vamos as às dicas de ouro da adaptação de conteúdo. Essa parte, eu me baseei parcialmente neste artigo incrível to Top Rank Blog.

Sobre otimização de vídeos para mobile:

  • No conteúdo para acesso móvel, se for usar vídeos, limite sua duração em, no máximo, 7 minutos. Se o vídeo for embedado no artigo, faça-o menor que 5 minutos.
  • Use serviços gratuitos especializados, principalmente Youtube ou, alternativamente, Vimeo para hospedagem e tudo se adaptará automaticamente, como qualidade e tamanho.
  • Crie os vídeos usando os padrões HTML5.
  • Se você for incluir texto no vídeo, garanta que ele ficará centralizado, a fim de ficar mais legível em telas menores.
  • Crie vídeos que independam de áudio para serem assistidos. O motivo é que as pessoas podem consumir seu conteúdo enquanto estão em movimento, o que dificulta a possibilidade de ouvir o áudio. Estranhamente, 85% das pessoas que assistem vídeos no Facebook, por exemplo, não ouvem o som do vídeo.
  • Para a otimização de imagens, considere o peso e o consequente tempo de carregamento. Para resolver esse problema:
    • Crie imagens em formato pré-otimizado. Para isso use o Canva, que cria imagens nos tamanhos ideais para as mídias sociais e e-mail.
    • Comprima as imagens em JPEG sem perder qualidade. Para isso use o Tinyjpg.

Se você não sabe ou não tem quem programe a responsividade do site, use um serviço que cuida disso como Embed.ly/Display.

A otimização do conteúdo para acesso móvel

Logicamente o tamanho dos textos é fator primordial. Assim:

  • Cuide da navegação, pensando em menus simples e diretos, que criem um fluxo lógico.
  • O tamanho médio dos textos que ranqueiam nas primeiras posições no Google passa de 1.000 palavras. A otimização também exige uma certa dose de repetição de palavras-chave, a inclusão de termos de transição, apostos e outras características que diferenciam o webwriting da escrita comum. Assim, diminua o texto que é apresentado na versão mobile. Para quem usa WordPress, há um bom plugin para cuidar disso, o Conditional Display for Mobile – Mobile Detect Plugin da Magic Hills.
  • Intercale pequenos parágrafos com imagens que acrescentem ou facilitem o entendimento, assim como vídeos que firmem pontos.
  • Intercale subtítulos para dividir e estruturar as partes do texto, a fim de estimular a pessoa a ler/ver/ouvir o conteúdo inteiro.
  • Crie uma conclusão com os principais pontos, com links âncora (#) e torne fácil a pessoa voltar para se aprofundar em algum desses pontos.
  • Não esqueça das chamadas para ação em mais de um ponto do conteúdo. Não perca oportunidade de cadastrar o e-mail de seu visitante para garantir um início de relacionamento e seu retorno, assim como oferecer produtos contextuais e complementares ao conteúdo.

Imagine meu artigo sobre marketing digital como uma agência pode virar o táxi do marketing, com mais de 12.000 palavras. Como ler isso no celular? Assim, dividimos o conteúdo para 8 partes, que podem ser acessadas individualmente, ou baixadas em apresentação única num e-book.

Isso não significa que os conteúdos devem passar a ser telegráficos e que o conteúdo homeopático de conteúdo do Twitter serão padrão, mas temos que criar opções que tornem o consumo do conteúdo no acesso móvel algo sensato.

E mais dicas para a versão mobile

Agora, umas dicas bônus, muito importantes para qualquer site mobile.

  • A fim de conhecer melhor sua audiência e o fluxo que ela segue na versão móvel de seu site, analise em seu Google Analytics a parte Audience – Mobile – Overview.
  • Use ícones no seu menu, além de texto. Além de chamar a atenção, as pessoas tendem a clicar em imagens que lhes sejam rapidamente identificáveis.
  • Ofereça uma busca interna ao site na parte superior do site.
  • Se você tiver de usar formulários em seu site, faça-os no menor tamanho possível. Você sempre pode pedir, mais tarde para que pessoas já cadastradas o completem.
  • Especialistas aconselham que se evite pop-ups nas versões mobile para captura de e-mail. Tente cadastros com formulários fixos.
  • Por fim, como sempre, faça teste AB de tudo…

Com estas ações e conteúdo mobile seu site será um sucesso, tanto na versão desktop como na versão mobile.

Co-fundador da MarketingDigital.com.br, Alex Moraes é especialista em Marketing Digital. Após diversas conquistas na prestação de serviços na agência digital de seu irmão, o designer Anderson Moraes, mudou o foco da empresa, a Clicktime Marketing e Design, para a educação. A MarketingDigital.com.br é um hub de troca de informações, com muito conteúdo próprio e de parceiros, glossário, guia de prestadores de serviços (agências e profissionais), agenda de cursos e eventos e tudo mais que se refira a Marketing Digital.

101 artigos publicados